«Síndrome», da Companhia Olga Roriz, chega a Loulé já esta sexta-feira

O Cine-Teatro Louletano apresenta na sexta-feira, dia 17 de Novembro, pelas 21h30, Síndrome, da Companhia Olga Roriz, que teve estreia absoluta no Teatro São Luiz, em Lisboa, em Junho deste ano.

Sindrome_Olga_Roriz
foto: Paulo Pimenta

Sinopse

Síndrome parte de Antes que matem os Elefantes transformando-o num novo espaço, solitário e individual, envolto num ambiente de utopia como uma suspensão da realidade, em busca do que ficou esquecido, do que se perdeu.
Vive-se a verdade, as expectativas, as aspirações e desencantos.
Baralham-se as convenções, e faz-se daquele lugar um outro, ou apenas um palco a existir como tal, numa relação entre o ser humano, o tempo, o espaço e a matéria.
Naqueles corpos reconstroem-se os afetos, o mundo imprime-se no olhar, no rosto, no corpo e nas palavras, em direção a outros caminhos do sentir.

Olga Roriz
. 17 Maio 2017

Este lugar acolhe as personagens assim como as atira para fora quando a sua função se esgota. Síndrome é o oposto de Antes que matem os Elefantes, é o oposto da realidade, nada é palpável ou definível.
Síndrome, sendo em seguimento de uma peça sobre a guerra, por oposição, encontra-se num nenhures, num tempo depois do tempo antes, num tempo antes de sabermos.
Síndrome é uma miragem.
O lugar está lá antes de tudo mas não existe.
O pulsar da luz marca o início de toda a ação. Desvendando e ocultando o que está para vir ou o que nunca existiu.
Ouvem-se memórias de guerra, descrições de casas destruídas, imagens ausentes de homens, mulheres e crianças.
Cada um procura reconstruir-se, exaltando, lamentando, retraindo-se ou abandonando-se ao desejo.
É uma lenta marcha fúnebre.Olga Roriz, 13 Junho 2017

Ficha técnica

Direcção Olga Roriz
Intérpretes André de Campos, Beatriz Dias, Bruno Alexandre, Bruno Alves, Carla Ribeiro, Francisco Rolo, Marta Lobato Faria
Seleção musical Olga Roriz e João Rapozo
Música
Sinfonia nº4 de Arvo Part (gravação da Orquestra Filarmónica de Los Angeles, conduzida ppr Esa-Pekka Salonen),
excerto do som do filme “Satantango” de Béla Tarr,
Max Richter, Kroke
Espaço cénico e figurinos Olga Roriz
Desenho de luz Cristina Piedade
Acompanhamento dramatúrgico Sara Carinhas
Pós-produção áudio João Rapozo
Montagem e operação de luz João Chicó (Contrapeso)
Montagem e operação de som Sérgio Milhano (Ponto Zurca)
Assistência de cenografia e figurinos Maria Ribeiro
Assistentes de ensaios Pascoal Amaral e Ricardo Domingos
Intérpretes André de Campos, Beatriz Dias, Bruno Alexandre, Bruno Alves, Carla Ribeiro, Francisco Rolo, Marta Lobato Faria
Seleção musical Olga Roriz e João Rapozo
Música Sinfonia nº4 de Arvo Part (gravação da Orquestra Filarmónica de Los Angeles, conduzida ppr Esa-Pekka Salonen), excerto do som do filme “Satantango” de Béla Tarr, Max Richter, Kroke
Espaço cénico e figurinos Olga Roriz
Desenho de luz Cristina Piedade
Acompanhamento dramatúrgico Sara Carinhas
Pós-produção áudio João Rapozo
Montagem e operação de luz João Chicó (Contrapeso)
Montagem e operação de som Sérgio Milhano (Ponto Zurca)
Assistência de cenografia e figurinos Maria Ribeiro
Assistentes de ensaios Pascoal Amaral e Ricardo Domingos

Mais info: Companhia Olga Roriz

Autor: Les Corps Dansants

Plataforma digital para pensar e debater a Dança - em Portugal e no mundo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s